Pronto Atendimento Ortopédico - Aberto todos os dias (8 às 24h) (48) 3224-7466 (48) 98810-8383

O comprometimento da resistência óssea, com consequente aumento do risco de fraturas, é característica da osteoporose. Nesta doença, ocorre um desequilíbrio entre o processo de formação e de reabsorção óssea.

Entre os principais fatores de risco para a osteoporose, estão:

  • Histórico familiar da doença;
  • Alterações e deficiências hormonais;
  • Alimentação deficiente em cálcio e vitamina D;
  • Baixa exposição à luz solar;
  • Sedentarismo;
  • Tabagismo e alcoolismo;
  • Ingestão de medicamentos à base de cortisona, heparina e antiepilépticos.

Principais Fraturas

Um dos grandes problemas da osteoporose é que ela é uma doença silenciosa, até se complicar com uma fratura. No entanto, a osteoporose pode ser prevenida, diagnosticada e tratada antes que a fratura ocorra.

“Geralmente, as lesões osteoporóticas costumam atingir a coluna (vértebras), o punho (rádio), o braço (úmero) e a bacia (colo do fêmur). E esta última fratura costuma ser bastante perigosa. Além do elevado risco de morte, muitos pacientes sofrem perdas significativas em sua qualidade de vida após a lesão do colo do fêmur.” – Dr. Mário C. Kormann, Médico Ortopedista e Traumatologista (CRM-SC 5454 / RQE 7623).

Riscos Elevados para Mulheres

A osteoporose também pode ser considerada uma doença metabólica. Ela está diretamente associada aos níveis de estrogênio no sangue, hormônio que auxilia no equilíbrio entre o ganho e a perda de massa óssea ao longo da vida. 

Apesar de ser considerado feminino, o estrogênio também está presente no organismo dos homens. Porém, em menores quantidades.

“No entanto, após a menopausa, os níveis de estrogênio no organismo feminino tendem a cair drasticamente. Assim, os ossos das mulheres tornam-se mais porosos e frágeis. Por isso, cerca de 40% das mulheres e 15% a 30% dos homens terão uma fratura osteoporótica durante a vida.” – Dr. Mário C. Kormann, Médico Ortopedista e Traumatologista (CRM-SC 5454 / RQE 7623). 

Diagnóstico da Osteoporose

O diagnóstico da osteoporose é fundamental para reduzir os riscos de fraturas. Normalmente, ele pode ser realizado de forma clínica, pelo médico responsável. Além disso, o profissional pode solicitar um exame específico, de densitometria óssea.

“A densitometria óssea é um exame de imagem rápido e indolor. Com ele, os médicos avaliam a densidade mineral óssea, estabelecem ou confirmam o diagnóstico de osteoporose. Além disso, a densitometria óssea permite predizer o risco de fraturas e monitorar os pacientes.”  – Dr. Mário C. Kormann, Médico Ortopedista e Traumatologista (CRM-SC 5454 / RQE 7623).

Por isso, a recomendação é que todas as mulheres procurem o médico ortopedista após a menopausa, para uma avaliação musculoesquelética. O mesmo é recomendado para os homens após os 50 anos e com algum fator de risco associado à osteoporose.

Neste contexto, mulheres e homens idosos devem ter um acompanhamento médico rigoroso e realizar os exames de densitometria óssea regularmente.

Tratamento e Prevenção da Osteoporose

Existem várias opções de tratamento para a osteoporose e para a redução do risco de lesões. Geralmente, costumam envolver a suplementação de cálcio, vitamina D e uso de medicamentos específicos. 

“Ter uma alimentação rica em cálcio e vitamina D ao longo da vida é muito importante para a prevenção da osteoporose. Além disso, praticar esportes e exercícios físicos também é indicado. Afinal, pode melhorar a agilidade, força, postura e balanço. Assim, pode reduzir os riscos de queda e melhorar a densidade mineral óssea, resultando em melhor qualidade de vida.” – Dr. Mário C. Kormann, Médico Ortopedista e Traumatologista (CRM-SC 5454 / RQE 7623). 

Portanto, cuide da sua saúde e tenha mais qualidade de vida. Se precisar de ajuda na prevenção, diagnóstico e tratamento da osteoporose, conte com os médicos ortopedistas da Ortoclini: (48) 3224-7466 e (48) 98810-8383 (com WhatsApp).

Sobre o autor:

Dr. Mario Cezar Kormann (CRM-SC 5454 / RQE 7623) é ortopedista e traumatologista. Possui graduação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e formação em Ortopedia e Traumatologia pelo HRHMG/SC. 

  • Especialista em Ortopedia e Traumatologia pela SBOT. 
  • Especialista em cirurgia Oncológica ortopédica. 
  • Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Trauma ortopédico. 
  • Staff do Serviço de Ortopedia Pediátrica do HIJG/SC e da Ortoclini.

 

Open chat
1
Olá! 👋
Como podemos ajudar você?
Powered by